terça-feira, 17 de abril de 2012

E todos os cantos da casa me lembram você, de todas as risas, dos abraços, de olhar, de lavar os pratos e jogar espuma em você, de ser obrigada a entrar no mar, dos fiascos em publico, de te melar de torta de limão no meio do shopping, de tirar onda com sua cara, de andar e acompanhar seus passos, de adormecer em teus braços, de querer te matar, inventar apelidos bobos, ver filme com a webcam ligada, juntar desesperada dinheiro, poder contar no fim do dia como eu estou, como foi meu dia, poder te ajudar com o violão, caminhar na praia ao seu lado, lutar contigo na areia, poder ter motivos para acordar, motivos seguir, realizar tudo o que sonhei, e sonho pra nós dois…. Sem isso não sobra mais nada.
Eu acho que não sabia o que era vazio, até agora. É um buraco sugando meu coração. Dor assim, eu nunca senti. Nenhuma tristeza se compara…nenhuma dor, nada…E não há ninguém que entenda essa obsessão, essa dor, esse amor…que eu chego  a pensar que é doentio, egoísta…Ah essa dor, anormal, forte que está me destruindo aos poucos, é tanta dor. Nunca em senti tão infeliz.
Ocorreu um erro neste gadget