quarta-feira, 30 de junho de 2010

Eu queria parar de sonhar as vezes. Dormir e não precisar ter medo de acordar. Meu vestido esta sujo, meu castelo está vazio. Nunca fui uma princesa. E eu sempre me senti estranha. Deslocada, nunca fui normal, nunca me senti normal no meio de todos. E viver a procura de alguém que eu consiga ser eu mesma. Que eu consiga me encontrar de verdade. Alguém que eu encontre o meu, não é o mesmo. Por que eu sei que isso não vai acontecer. Que meus sonhos nunca vão passar do travesseiro. A lua não esta significando muito para mim agora. E o vazio toma conta do meu coração. Isso é, se eu tivesse um. Eu nunca vou ser a mais bela, nem a mais legal. E nem sempre vou esta sorridente. E não existe sonhos. Não vai existir o alguém, o meu alguém...Nunca

quarta-feira, 16 de junho de 2010

minha jóia rara

 Acho que se arrependimento matasse, minha morte seria a mais cruel e dolorosa. Tenho nojo de me olhar no espelho e ver o que me tornei. Minha alma esta cega, manchada por tanta dor, raiva e angustia. Minha voz se cala diante do orgulho ferido.  Se eu pudesse voltar ao passado: No tempo em que você sorria. No tempo que o amor fazia parte de você. Se eu pudesse ter te conhecido nesse tempo. No tempo em que eu nem imaginava existir. O seu olhar era livre, tão leve. Seu sorriso, era sincero. Harmonioso. E hoje quando falo ou penso coisas estúpidas, eu não enxergo seus olhos mortos e sua respiração fraca; Marca de lutas. Lutas constantes contra o dia a dia e consigo mesma.
 Meu egoísmo fala mais alto. E minha mão se fecha diante de ti. Buscando em meu coração palavras de perdão, me perco entra lágrimas. E o arrependimento volta, por esta diante de uma heroína e ser tão idiota. Embora cada muralha que há entre nós cresça, sou inexplicavelmente, irrevogavelmente, irreversivelmente, apaixonada por você. E amor é pouco ao lado do que sinto por você Mãe. E sei que o que você se tornou é fruto de pessoas, assim como eu; Que não perceberam tal jóia rara. Mesmo que fique oculto, eu te amo, minha mãe. 

terça-feira, 15 de junho de 2010

Diga

  Eu espero tanto tempo por alguém, eu criei na minha mente como um ser perfeito o ser ideal.Talvez seja você. Queria perder meu tempo com você, passar horas ouvindo a tua voz. Quero decorar o ruido do seu sorriso. Quero poder não me angustiar com esse seu jeito de fingir que não senti o mesmo. Eu vejo em seus olhos.Embora saiba esconder bem. Eu sei que quando estamos juntos, você quer me levar para outro lugar. Sei que você quer me ter em seus braços. Também sei que você tem muito o que mostrar. Sei que você não, é isso que demostra. Você nuca teve a chance de poder voar alto. Pare um pouco  de viver nessa realidade, e deixa eu te mostrar que a vida vai além disso. Deixa eu te provar, que mesmo diferentes. Podemos descobrir um mundo juntos. Então me vem e me chega, me invade, e me toma para ti e me pedes e me perdes e te derramas sobre mim com teus olhos sempre fugitivos e abres a boca para libertar o que eu quero ouvir. E hoje eu me peguei querendo entender o que se esconde pro trás dos meus medos, e inseguranças. Se eu te disser que o meu coração dói, que foi tão pisoteado. Que hoje, sendo suportado por remendos, tenha medo de se despedaçar novamente.   
  Queria muito poder traduzir esse sentimento, se é que isso pode se considerar um, é uma coisa ruim entende? uma coisa que me limita cada dia mais, acabo me tornando uma pessoa cheia de transtornos...Mas eu só queria agora, que você me disse, que me ama. Que me ama tanto. Que ficarás aqui. Que não irá me pedir para mudar.  Que quando eu voltar você estará me esperando. Diz para mim que tem que ser assim. Apenas eu e você, longe daqui. E então não terei mais medo de olhar para meus abismos.

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Um brinde

  O suor dos meus olhos refletem todos os cigarros tragados, as garrafas escondida de baixo do travesseiro. O sangue que mela o casaco são marcas de quem já viveu um dia e agora esta vendo tudo acabar de vez. A chuva leva embora toda esse sentimento de merda que restou dentro de um coração remendado. As pessoas são como vermes, que sem piedade e famintos sugarão até a ultima gota de suas forças. E ao olhar para um horizonte, o sol que invade sua alma, não valerá mais nada. Suas armas estão sem munição. Quando você menos esperar o golpe final será dado. O chão se abri cada vez mais diante de você.  Correr não adiantaria agora. Do outro lado não terá alguém a sua espera. A vida nós mostra o tão cruel que ela é. Sem desvios, sem mentiras. A realidade é tão transparentes, que você não vai ter tempo de criar esse seu mundo fútil em seus mais profundos sonhos. Em minhas noites, com o cigarro em mão. Observo como os seres humanos são estúpidos. Como eu tenho repulsa por ser um. Querendo ou não : todos são inexplicavelmente  idiotas. Logo, eu sou uma idiota. E de minhas noites sobrias, tentei lembrar de quando fui feliz sem ter que ver o meu sangue escorrer no chão do quarto.  Tento lembrar do tempo que ainda tinha piedade de mim. Os espinhos me perfuram cada vez mais.O silêncio me consome trazendo a solidão como minha melhor companheira. Rindo comigo, rindo pelos pobres coitados ao redor, vivendo uma pseudo felicidade, uma felicidade de valores podres e princípios sem valor nenhum. Só para ter o gosto de mentir para si mesmo. Vou brindar a tantos tolos existentes nesta merda. Vou brindar enquanto é tempo.  Os meus olhos ardem, o sangue ainda continua a escorrer, a garrafa esta cheia, e o cigarro acesso. Tenho que brindar logo.  Antes que  meus olhos se fechem de vez.

sexta-feira, 11 de junho de 2010

 Todos querem amor. De uma bebê a um idoso, todos precisam e querem apenas amor. O amor esta oculto em tudo em nossa volta. E eu a cada dia sonho mais e mais com esse sentimento. Por que eu acho que ele vai bem além do que as pessoas julgam ser. Ou demonstram ser.  Talvez eu passe minha vida a buscar isso, e morra sem conseguir. Mas vou fechar os olhos sabendo que eu tentei, até o ultimo segundo.  Não venha me dizer que eu sonho demais. Ou para eu voltar a realidade. Mas a pseudo realidade de vários é que não existe o amor, que não existe o para sempre. Que isso não passa apenas de um ''sonho bobo'' O para sempre não é ter alguém ao seu lado até quando você parar respirar. E sim, ter aquele sentimento, ou a lembrança daquela pessoa dentro de você. Estando com ela ou não, independente de quem seja. Cada pessoa tem uma qualidade especifica que faz ela ficar marcada. Ninguém é igual. Pessoas passaram por sua vida. Umas ficam, outras se vão. E no amor é do mesmo jeito. Mas sempre, sempre tem o amor verdadeiro. O amor desconhecido. O amor raro. Amor que realmente é para sempre. O primeiro e único. E é por esse, que eu vivo a cada segundo. Posso parecer uma adolescente boba e imatura falando. Mas sou uma adolescente boba e imatura querendo a felicidade. De ter um sentimento tão lindo como esse. Uma pessoa que realmente me ensine várias coisas. Que saiba dar valor. Saiba e busque o mesmo que eu. Que me aceite, com defeitos e qualidades. Será tão errado pedir isso? O que tem de errado nisto? Eu quero amor. E quero dar todo amor a alguém. Talvez o problema seja comigo. Talvez eu não tenha nascido para isso. E viva frustrada. O que adianta viver só, sorrindo? O que adianta escrever isso tudo? Se eu sei, que é tudo em vão. 

Ocorreu um erro neste gadget