quarta-feira, 16 de junho de 2010

minha jóia rara

 Acho que se arrependimento matasse, minha morte seria a mais cruel e dolorosa. Tenho nojo de me olhar no espelho e ver o que me tornei. Minha alma esta cega, manchada por tanta dor, raiva e angustia. Minha voz se cala diante do orgulho ferido.  Se eu pudesse voltar ao passado: No tempo em que você sorria. No tempo que o amor fazia parte de você. Se eu pudesse ter te conhecido nesse tempo. No tempo em que eu nem imaginava existir. O seu olhar era livre, tão leve. Seu sorriso, era sincero. Harmonioso. E hoje quando falo ou penso coisas estúpidas, eu não enxergo seus olhos mortos e sua respiração fraca; Marca de lutas. Lutas constantes contra o dia a dia e consigo mesma.
 Meu egoísmo fala mais alto. E minha mão se fecha diante de ti. Buscando em meu coração palavras de perdão, me perco entra lágrimas. E o arrependimento volta, por esta diante de uma heroína e ser tão idiota. Embora cada muralha que há entre nós cresça, sou inexplicavelmente, irrevogavelmente, irreversivelmente, apaixonada por você. E amor é pouco ao lado do que sinto por você Mãe. E sei que o que você se tornou é fruto de pessoas, assim como eu; Que não perceberam tal jóia rara. Mesmo que fique oculto, eu te amo, minha mãe. 

2 comentários:

Thais Alves disse...

As vezes não conseguimos demonstrar o que realmente sentimos por alguém por orgulho , mais o sentimento sempre estará em nós . amei *-*'

bianca :) disse...

que lindo ;O *-*

Ocorreu um erro neste gadget