terça-feira, 30 de março de 2010

Amantes do amor do passado


                                                Brazil- 14-06-1973

                         Jos
Não sei porque sempre nos roubam as coisas belas de nossa vida. Hoje eu estou triste, procuro fugir, fugir de mim mesma, procuro esconder dos outros a minha angustia que já é demais, ninguém tem culpa de que eu seja assim, eu odeio ver até onde chega a falta de humanização do homem pelo homem até que ponto as pessoas se sentem com o direito de desmoralizar alguém, não respeita a condição do homem pelo que é, e sim pela posição social, que alguém tem, pelo dinheiro. Isso é demais. Estupido. 
O homem simplesmente um fajuto, sempre procura sanear a situação. Por que? Eles descobrem a realidade, mas fogem dela, com medo de si próprio.
Querido recebi sua carta a qual me deixou muito feliz, por que saber que os meus sentimentos por você, são os mesmos de você por mim. Isso é muito importante saber.: Não importa nada, eu lhe amo e por você serei capaz de fazer algo mais, para que esse amor seja infinito, não apenas mais uma vida. Eu lhe amarei, eu lhe amo....
Meu querido se você não conseguir vim me ver, não fique triste eu entendo, eu lhe esperei em qualquer tempo, em qualquer dia e hora. Sei que vai acontecer um milagre e você vai voltar e iremos para a praça e começaremos a se abraçar e se beijar e todo o quartel a nos olhar ok?
Jos, meu amor que bom ter a esperança que alguém vem para gente. Eu tenho saudades de você, muitas, muitas saudades.
                                                      Da sua e sempre
                                                                        Maria
                                                                              Beijos.

 Carta de uma garota hippie, idealista e revolucionaria, apaixonada nos anos 70 Para seu amado. 
 

Um comentário:

Monique Premazzi disse...

Que fofo *-*
Amo textos em forma de carta, fica tão legal. Adorei o blog ok? Beijos xx

Ocorreu um erro neste gadget