sexta-feira, 26 de março de 2010

Ladra de almas


Fecho meus olhos, lembro do passado, sinto o meu presente, e fico cega diante ao futuro. A vida se tornou ladra do tempo, dos sonhos, da minha esperança.
O vento toca meu rosto, levando com ele as lágrimas frias que em minha face rolam. Tão perdida, as vezes esqueço até quem sou, bem eu nunca soube. O que eu estou fazendo aqui? Salve a minha alma, quero salva-la.
Me olhando no espelho, sou uma completa estranha. Meu pior inimigo sou eu mesma. Quero salvar minha alma antes que seja tarde demais. Antes que a escuridão tome conta dela por completo como está tentando agora.
Porque a vida se tornou ladra do tempo, dos sonhos, da minha esperança, da minha alma.

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget